Bem-vindo ao IOGP - Instituto de Oftalmologia Dr. Gama Pinto
13/12/2017 14h12
SNS

Título

CARTA DE VALORES E COMPORTAMENTOS

(Perspectiva Funcional e Institucional)

 

Um Sistema de Valores e de Conduta, destinado a nortear princípios e comportamentos dentro de uma organização de Saúde, e especificamente no IOGP, é um dos pressupostos básicos e necessários na actualidade. Este Sistema assenta na ideia de responsabilização e configura-se como um compromisso assumido, individual e colectivamente, por todos os colaboradores e utentes do IOGP. É uma norma social que define e clarifica um conjunto de princípios e comportamentos consistentes com aqueles valores, potenciando o reforço da reputação dos nossos profissionais e da nossa Instituição. Neste contexto, torna-se pertinente relembrar a missão e os valores do IOGP.

O Instituto de Oftalmologia Dr. Gama Pinto tem com visão constituir-se como Serviço de referência para o desenvolvimento da investigação, formação, diagnóstico e tratamento da patologia do sistema visual, contribuindo para a disseminação do conhecimento e prestando um serviço de excelência nestes domínios.

 

A Missão do IOGP é prestar serviços de saúde de qualidade, no âmbito da Oftalmologia, designadamente através do desenvolvimento de técnicas diferenciadas centradas na patologia ocular e visual, constituindo-se como uma referência técnica e científica nos cuidados prestados e nos domínios da formação pré e pós-graduada e na investigação, promovendo a motivação dos profissionais, adequando os recursos disponíveis às necessidades da comunidade e cumprindo o Programa Nacional para a Saúde da Visão na sua área de intervenção.

 

Os nossos valores estão fundados numa cultura de qualidade e desempenho centram-se na orientação para o utente/comunidade:

 

Integridade

Ética, inovação e decisão baseada em evidência constituem as linhas de orientação nos serviços, garantindo a acessibilidade e a efectividade dos cuidados prestados ao utente.

 

Organização
A dinâmica organizacional desenvolve-se numa abordagem de processos de prestação de cuidados, afectação eficiente de recursos, gestão participada e melhoria contínua do desempenho e das competências.

 

Ganhos em Saúde

O nosso compromisso perante a comunidade assenta na obtenção de resultados em saúde, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida do cidadão.

 

Produtividade

O conhecimento, a prática, a experiência e empenho dos profissionais constituem o activo mais valioso do Instituto ao serviço das necessidades da comunidade.

 

 

2. Conduta Esperada de Utentes e Colaboradores

2.1. Espera-se que os Utentes

1. Nos termos da Constituição da República Portuguesa (C.R.P.), Lei Constitucional n.º1/2004 de 24 de Julho no seu Artigo 64.º, do Estatuto Hospitalar, Decreto – Lei n.º48357 de 27 de Abril de 1968, da Lei de Bases da Saúde, Lei n.º 48/90 de 24 de Agosto, Base V e Base XIV e da Carta dos Direitos e Deveres dos Doentes publicada pela Direcção Geral da Saúde, encontra-se consagrado todo um conjunto de direitos e deveres que visam salvaguardar a protecção da saúde e o dever de a defender e promover, que importa identificar neste documento.

 

 

2. O doente tem direito:

a) A ser tratado no respeito pela dignidade humana;
b) Ao respeito pelas suas convicções culturais, filosóficas e religiosas;
c) A receber os cuidados apropriados ao seu estado de saúde;
d) À prestação de cuidados continuados;
e) A ser informado acerca dos serviços de saúde existentes, suas competências e níveis de cuidados;
f) A ser informado sobre a sua situação de saúde;
g) A obter uma segunda opinião sobre a sua situação de saúde;
h) A dar ou recusar o seu consentimento antes de qualquer acto médico ou participação em investigação ou ensino clínico;
i) À confidencialidade de toda a informação clínica e elementos identificativos que lhe respeitam;
j) De acesso aos dados registados no seu processo clínico;
l) À privacidade na prestação de todo e qualquer acto médico;
m) A apresentar sugestões e reclamações, por si ou por quem o represente.

 

3. O doente tem o dever de:

a) - Zelar pelo seu estado de saúde;
b) - Fornecer aos profissionais de saúde todas as informações necessárias;
c) - Respeitar os direitos dos outros doentes;
d) - Colaborar com os profissionais de saúde;
e) - Respeitar as regras de funcionamento do Hospital;
f) - Utilizar bem os serviços do Hospital e evitar gastos desnecessários.

 

 

2.2. Espera-se que os Colaboradores

a) Promovam e elevem a imagem e identidade do IOGP
b) Respeitem todos os utentes, seus acompanhantes e colaboradores do IOGP.
c) Acolham com dignidade e humanismo os utentes
d) Garantam o rigor e qualidade na prestação dos cuidados
e) Criem condições para um bom ambiente interno e de valorização das “Boas Práticas”
f) Dialoguem, sempre que necessário, com os utentes sobre os valores IOGP e clarifiquem comportamentos considerados despropositados
g) Se empenhem para que eles próprios e os seus colegas se comportem de acordo com a letra e o espírito desta Carta.
h) Actuem como agentes de mudança para a excelência do IOGP.

 

3. Uma palavra de confiança

Nós, IOGP, orgulhamo-nos do elevado sentido de responsabilidade da nossa equipa de colaboradores e dos seus sólidos valores pessoais e morais, sendo nossa profunda convicção que cumprirão, por iniciativa própria, sem hesitações nem desvios, os princípios estabelecidos nesta Carta de Valores e de Comportamento.